MINISTRO 'POSTE": Ala Política do PT comandada por Gleisi Hoffman vence primeiro round contra Haddad e subsídio aos combustíveis será prorrogado


Da Redação

Nem bem tomou posse, o “poste” do Lulapetista,  Fernando Haddad promovido a ministro da Fazenda,  já amarga a primeira derrota  para a área política do PT comandada por Gleisi Hoffmam que fez prevalecer a sua opinião de que a isenção de impostos federais sobre combustíveis deve ser prorrogada.

Segundo a jornalista Mônica Bérgamo da Folha de São Paulo ainda teve mais: o prazo para a duração da desoneração pode ser ainda maior do que o inicialmente debatido, que ficaria entre 30 e 120 dias.

Ela pode durar mais para o diesel do que para a gasolina.

Integrantes do núcleo político do governo e do PT defendem um prazo mais alargado de isenção para evitar o desgaste que o aumento no preço do diesel e da gasolina, consequência da volta do imposto, provocaria na opinião pública.

O impacto em diversos outros preços, com reflexos nos índices de inflação, aumentaria o desgaste.

O cálculo é que um aumento no diesel poderia alimentar a oposição ao governo entre caminhoneiros, com potencial de paralisação e bloqueio nas estradas que colocaria o país em uma zona de instabilidade.

Já a equipe de Haddad se preocupa com o aumento do rombo nas contas do governo caso a política de isenções adotada por Bolsonaro nas eleições não seja revertida num prazo razoável.

A isenção dos combustíveis custa mais de R$ 52 bilhões aos cofres federais.

Um pequeno aumento no diesel e na gasolina agora evitaria um problema maior no futuro, com ameaças ao equilíbrio fiscal.

Entre os defensores da prorrogação mais longa estão a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e o líder do governo no Congresso, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A medida provisória prorrogando a desoneração deve ser assinada por Lula nas próximas horas, depois que ele tomar posse do cargo de presidente da República.

O imbróglio sobre a volta da cobrança de impostos sobre combustíveis já dura diversos dias.

A Medida Provisória editada por Jair Bolsonaro (PL) no ano passado, visando conter a explosão de preços do diesel e da gasolina impulsionada pela guerra da Ucrânia, caducaria no fim do governo passado.

Haddad e Guedes chegaram a negociar a edição de uma nova medida por Bolsonaro, para prorrogar a isenção por ao menos 30 dias.

O ministro da Fazenda de Lula depois recuou: Guedes não editou nova MP e os debates sobre o assunto passaram a ser travados internamente entre a área econômica e a área política do novo governo.

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS