Prefeitura e Instituto de Previdência de Juazeiro se reúnem para analisar propostas referentes à contribuição previdenciária dos servidores

Foto: Pedro Ângelo
Da Redação
Por: Prof. Taciano Medrado

A prefeita Suzana Ramos se reuniu nesta quinta-feira (6) com o diretor executivo do Instituto de Previdência de Juazeiro (IPJ), Marcus Onildo, para discutir medidas que possam ser implementadas para diminuir o impacto causado pelo desconto de 14% de contribuição previdenciária no pagamento dos servidores ativos e inativos.

Também estiveram presentes no encontro a superintendente do IPJ, Tarsila Ramos, a diretora previdenciária, Rúbia Oliveira, o secretário de Governo, Tomaz Anor, o procurador do município, Thiago Cordeiro, e consultores em assessoria do cálculo atuarial e compensação previdenciária.

“Entendemos que a situação que o país atravessa por causa da pandemia é complicada e aqui em Juazeiro também não é diferente. Para os trabalhadores, servidores também não é fácil com o custo de vida ficando mais alto a cada dia. Ouvimos a demanda trazida pelo IPJ, nós estamos sensíveis à situação e vamos estudar uma solução para não ficar tão pesado para os servidores, nem cause tantos impactos para o município”, disse Suzana Ramos.

O diretor Marcus Onildo contou que o instituto contratou uma empresa especializada para analisar o cenário e propor alternativas. “Os consultores fizeram um estudo detalhado e nos apresentaram propostas que estão sendo, cuidadosamente, analisadas, pois não podemos tomar decisões precipitadas que poderão, a longo prazo, comprometer a manutenção e a própria existência da previdência”, explicou. 

O IPJ também vai debater a pauta com representantes de sindicatos e associações de servidores e secretários municipais. A reunião está agendada para esta sexta-feira (07) na sede do instituto.

Sobre a contribuição previdenciária

O percentual de 14% debitado mensalmente na folha de pagamento foi estabelecido pela Reforma da Previdência, aprovada pelo Congresso Nacional, através da Emenda Constitucional nº 103/2019 de 12 de novembro de 2019.

Texto: Marcela Cavalcanti  - Assessora do IPJ


Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Comentário(s)
2 Comentário(s)

2 comentários:

  1. Parabéns a Dr Marcos Onildo por se sensibilizar com essa pauta 1 da ATEPAAJ. Sabemos que essa alíquota veio do governo federal mas somos sabedores também que na gestão anterior (2019) foi aprovada pela maioria dos vereadores,com apoio do gestor da Aplb sindicato e também com antigo gestor do IPJ, Sr Antônio Carlos. Não estudaram, deram oportunidade de barganhar uma alíquota menor, simplesmente aprovaram pois"rezavam" na cartilha do prefeito Paulo Bonfim.Agora servidores municipais não entendo porque o gestor da Aplb sindicato tenta reverter a situação em que ele mesmo foi a favor rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente o sistema público não pensa no servidor,essa reforma previdenciária botou nos aposentados e pensionistas com vontade,esses 14% faz falta sim ao bolso de quem sustenta a família. Agora não tem mais jeito pois prefeitura ainda é cabide de emprego, os contratados não contribuem para a previdência Privada IPJ e sim p o INSS, IPJ à muito tem despesas exorbitantes como foi mostrado nas mídias durante as eleições de 2020 e por aí vai . Quem paga??? Os servidores da Aposentados. O Brasil tem jeito não. 😔😔😔

    ResponderExcluir

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS