NOTÍCIAS INTERNACIONAIS: ONU - Conselho de Segurança analisa crise humanitária e ameaça de fome no Iêmen

Crianças brincam em frente a casa destruída por ataque aéreo em 2019 - Foto: Unicef/Alessio Romenzi)

Da Redação
Por: Prof. Taciano Medrado

O diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos, David Beasley, apelou para a paz no Iêmen e pediu um novo financiamento para socorrer as famílias que passam fome no país. 

Ao Conselho de Segurança da ONU, nesta quinta (11), Beasley falou sobre o conflito no país árabe e a iminência da pior crise de fome vista na história moderna. Segundo ele, mais da metade dos iemenitas estão sofrendo com escassez aguda de alimentos. 

Ele contou que com mais financiamento será possível aliviar o problema. O Iêmen vive um conflito civil entre tropas do governo, apoiadas pela Arábia Saudita, e rebeldes houthis, apoiados pelo Irã.

Na capital Sanaa, ele visitou um hospital. Metade das crianças abaixo de cinco anos, um total de 2,3 milhões de pessoas, devem enfrentar má nutrição aguda ainda este ano. Pelo menos 400 mil sofrerão de má nutrição aguda severa. Sem tratamento urgente, eles correm risco de morte.

Na enfermaria infantil, Beasley disse que encontrou silêncio absoluto porque as crianças estão bastante doentes e abatidas. Muitas famílias sequer têm como transportar as crianças ao hospital. Vários postos de saúde estão recusando a internação por falta de leitos.

Para o PMA, a assistência humanitária com alimentos é a primeira linha de defesa contra a fome no Iêmen, onde 16 milhões de pessoas sofrem de insegurança alimentar.

No momento, a Agência da ONU prioriza assistência a 11 distritos que já estão passando fome para evitar o pior. Mas outros milhões de iemenitas também precisam de apoio contra a iminência de fome, a falta de combustível e a disparada no preço dos alimentos.

Mulheres e meninas Segundo Beasley, 14 navios cargueiros com combustível estão na costa do Mar Vermelho, sem poder entrar no país. Desde 3 de janeiro, nenhuma embarcação foi autorizada a atracar no porto de Hodeida. Sem combustível, os hospitais e o comércio não podem funcionar.

Para o chefe do PMA, a situação no Iêmen é infernal e terrível. David Beasley disse que o país está se tornando o pior lugar do mundo numa crise totalmente produzidas por seres humanos.

Ao passar o Dia Internacional da Mulher no Iêmen, ele afirmou que é preciso dar autonomia a meninas e mulheres como forma de se alcançar a fome zero. A agência pede US$ 1,9 bilhão para evitar uma crise arrasadora de fome no Iêmen este ano.

David Beasley disse que a assistência alimentar salva vidas, mas não resolver a crise do Iêmen, somente uma solução de paz duradoura, que revitalize a economia e estabilize a moeda local, poderá alcançar essa meta.

 Fonte: A Referencia

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.


Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS