OPINIÃO: Cientista político e ex-candidato à Presidência Felipe D’Avila (Novo) critica decisões do Ministro Alexandre de Moraes: "Age por impulsividade que não coaduna com o papel da Suprema Corte"

fotomontagem

Da Redação
Por Taciano Medrado

O cientista político e ex-candidato à Presidência Felipe D’Avila (Novo) afirmou, nesta quinta-feira, 12, que as decisões do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), alimentam o clima de tensão e radicalismo no País. O magistrado tornou-se um dos alvos principais dos apoiadores de Jair Bolsonaro por ser o relator na Corte de inquéritos que recaem sobre o ex-presidente ou seus aliados. D’Avila chamou de “criminosos” os episódios de vandalismo em Brasília e defendeu punição exemplar para os envolvidos, mas avaliou que a investigação do caso deve ser “serena”, sem intempestividades.

A meu ver, as posições que vêm sendo adotadas por Moraes têm um grau de impulsividade que não coaduna com o papel da Suprema Corte. Gosto mais do estilo de atuação da presidente Rosa Weber, uma pessoa sempre ponderada que nunca se manifesta a não ser nos autos”, afirmou, em entrevista ao Estadão hoje. Também participou da conversa, transmitida ao vivo nos canais do Estadão, o escritor e jornalista Fernando Gabeira.

Após a invasão das sedes dos três Poderes no último domingo, 8, Moraes determinou a apreensão de veículos que levaram os extremistas à capital federal, o afastamento do ex-governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB), a prisão por omissão do ex-secretário de Segurança Pública Anderson Torres, a desmobilização de acampamentos bolsonaristas pelo País, a proibição de obstrução de vias públicas e a prisão dos invasores.

A atuação do ministro Alexandre de Moraes acaba criando mais tensão entre as instituições e alimentando esse radicalismo, essa polarização que o Brasil precisa, de alguma forma, evitar que continue contaminando o entendimento político”, acrescentou.

O ex-candidato afirmou que a reação da sociedade à invasão das sedes das instituições, majoritariamente negativa, prova que a população defende e honra a democracia, priorizando a cidadania em vez de questões partidárias. Contudo, ele avalia que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda deve ao País atos para mostrar que superou a eleição e está disposto a dialogar com atores políticos da oposição.

Ele citou a pressão de uma ala petista para derrubar o ministro da Defesa, José Múcio, por não ter reagido de forma enérgica contra as Forças Armadas por possíveis falhas na segurança da Praça dos Três Poderes.

“Precisa o governo parar de querer sabotar aqueles que não reagem de acordo com a cartilha petista. Não é assim que nós vamos pacificar o País”, afirmou.

Com informações do Estadão

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS