NOTICIAS INTERNACIONAIS: Escândalo no Parlamento Europeu: quatro pessoas são presas acusadas de corrupção envolvendo o Catar

Eurodeputada grega Eva Kaili, no centro de um escândalo de corrupção no Parlamento Europeu - © AFP - ERIC VIDAL

Da redação

Foi decretada neste domingo (11) a prisão preventiva de quatro pessoas acusadas de corrupção na investigação do escândalo de corrupção no Parlamento Europeu envolvendo o Catar. O Ministério Público Federal Belga não divulgou o nome dos suspeitos, mas, segundo uma fonte judiciária, um dos presos na Bélgica é a vice-presidente grega do Parlamento Europeu, Eva Kaili.

pós uma decisão judicial, os quatro acusados, detidos na sexta-feira (9), vão ficar estão presos preventivamente pela suspeita de “pertencerem a uma organização criminosa, por lavagem de dinheiro e corrupção", anunciou o ministério público em um comunicado. Duas outras pessoas foram liberadas pelo juiz.

A suspeita é de que tenha sido repassadas “importantes somas de dinheiro e presentes significativos a pessoas com uma posição política ou estratégica dentro do Parlamento Europeu para influenciar as decisões” da instituição.

Sem imunidade parlamentar

A eurodeputada grega Eva Kaili não pode se beneficiar de sua imunidade parlamentar na investigação, pois é suspeita de um crime descoberto em flagrante, de acordo com uma fonte judiciária ouvida pela AFP.

Na sexta-feira, a polícia belga encontrou “sacos de dinheiro” com a eurodeputada no momento das buscas em sua casa. Segundo o MPF, foram apreendidos 600 mil euros em espécie (R$ 3,3 milhões) em um dos endereços alvo da investigação.

No sábado, a presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, comunicou a suspensão do cargo e dos poderes de Eva Kaili como presidente da instituição, incluindo sua representação na região do Oriente Médio.

Um segundo eurodeputado envolvido

O Ministério Público Federal belga também informou a realização de uma busca e apreensão na casa de um segundo eurodeputado na noite de sábado. O nome deste político não foi informado.

Nos últimos meses, os procuradores belgas investigam a suspeita de que o Catar, importante país produtor de gás, tenha usado de pagamentos em dinheiro e presentes para “influenciar as decisões econômicas e políticas do Parlamento Europeu”.

O caso teve início no meio da Copa do Mundo, quando o Catar, país anfitrião do Mundial, tenta se defender internacionalmente contra as acusações de violação aos direitos humanos, especialmente os dos trabalhadores.

Em novembro, Kaili visitou o país do Oriente Médio e, ao lado do Ministro do Trabalho do Catar, saudou as reformas do emirado neste setor. A eurodeputada também disse no Parlamento Europeu, em 22 de novembro, que o Catar era um líder nos direitos trabalhistas, o que causou um alvoroço à esquerda.

O escândalo causou uma resposta rápida de alguns dos representantes do Parlamento Europeu. Os deputados de esquerda, incluindo Philippe Lamberts em nome do Grupo Verde no Parlamento Europeu, pediram a perda do mandato de Kaili, que foi expulsa do Partido Socialista Grego (Pasok-Kinal) na sexta-feira à noite.

(Com informações da AFP)

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS