YouTube desmonetiza Jovem Pan por “atos perigosos e nocivos”

YouTube desmonetiza Jovem Pan por “atos perigosos e nocivos”© Divulgação/Jovem Pan

Da Redação

A Jovem Pan perdeu uma de suas maiores fontes de renda. Por iniciativa própria, o YouTube decidiu desmonetizar todos os canais do grupo jornalístico mantidos em sua plataforma de vídeos. As informações são do portal Pipoca Moderna.

A decisão foi tomada após a empresa ter identificado vários conteúdos em desacordo com sua política de conteúdo, e após vários avisos e punições anteriores.

Em comunicado, o YouTube destacou o canal do programa “Os Pingos nos Is” como principal responsável pela medida drástica.

O canal ‘Os Pingos nos Is’ incorreu em repetidas violações das nossas políticas contra desinformação em eleições e nossas diretrizes de conteúdo adequado para publicidade, incluindo as relacionadas a questões polêmicas e eventos sensíveis, atos perigosos ou nocivos, além de outras políticas de monetização. Desta forma, suspendemos a monetização do respectivo canal e dos outros que integram a rede Jovem Pan no YouTube, de acordo com nossas regras”, diz o texto da assessoria de imprensa da plaforma.

Ainda de acordo com o YouTube, todo criador de conteúdo que tenha sofrido alguma punição tem o direito a contestação.

“Pelas diretrizes, toda punição pode ser contestada e reavaliada, mas a decisão do YouTube é soberana”, completa o anúncio.

Com isso, a “desobediência civil” dos extremistas da empresa vai sair do bolso de Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, dono do grupo Jovem Pan.

Após a derrota de Bolsonaro nas eleições, Tutinha promoveu a demissão de alguns nomes mais identificados com o bolsonarismo, afirmando numa reunião interna, segundo o Painel da Folha de S. Paulo, que “a desobediência civil não sairá do meu bolso”. Na ocasião, ele se referia à multas da Justiça, que ameaçavam punir a empresa pela prática de desinformação.

Apesar desses cortes, a informação vazada era que o grupo continuaria o tom direitista, mas deveria moderar a linha editorial, fazendo uma cobertura crítica do novo governo. Entretanto, em vez de moderação houve radicalização ainda maior.

Na prática, os jornalistas que chamaram atenção dos extremistas mais radicalizados da Jovem Pan foram demitidos, casos de Leonardo Grandini e Cesar Calejon, que tiveram as cabeças pedidas publicamente pelo bolsonarista Rodrigo Constantino.

“Espero que estejam entendendo quem dá audiência”, disse Constantino em sua ameaça, publicada num vídeo no YouTube, em que exigiu as demissões para continuar na Jovem Pan. Agora, a empresa pode entender quem é que dá prejuízo.

Vale apontar que os radicais demitidos da Jovem Pan já se abrigaram em outro canal do YouTube, da revista Oeste, que sonha em se tornar a maior referência da extrema direita no Brasil. Curiosamente, essa equipe é formada justamente por ex-integrantes do programa “Os Pingos nos Is”.


Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS