PROMESSAS DE CAMPANHA: Lula deverá criar mais 13 ministérios gerando mais gastos ao governo e quem pagará o preço é o povo brasileiro

Foto: RICARDO STUCKERT - 25.10.2022

Da Redação

Conforme mais uma promessa eleitoreira do Governo Lulapetista, que ao longo da campanha eleitoral, firmou o compromisso de criar até 13 ministérios deverá ser cumprida e ele vai ampliar a quantidade de pastas vinculadas ao governo federal no ano que vem. Se isso for concretizado, os gastos do Executivo para manter a estrutura pública devem aumentar.

Lula e a campanha dele acenaram ao longo deste ano com a possibilidade de criar os seguintes ministérios: Segurança Pública, Desenvolvimento Agrário, Indústria, Previdência, Pesca, Pequena e Média Empresa, Cultura, Povos Originários, Direitos Humanos, Planejamento, Mulher, Fazenda e Igualdade Racial.

Especialistas em contas públicas dizem que as novas estruturas podem tornar a manutenção da máquina pública mais dispendiosa. "Algumas pessoas tentam enganar que não há acréscimo, mas temos que considerar que, para cada pasta, serão criados os cargos de ministro e de secretário-executivo, além das diretorias e outras estruturas. O aumento de gastos acontece. Quem disser que não está mentindo", opina Gil Castello Branco, especialista em contas públicas e secretário-geral da Associação Contas Abertas.

De acordo com Castello Branco, a ampliação dos ministérios compromete a eficiência administrativa do governo. "No Brasil, há uma ilusão de que, ao criar um novo ministério, o presidente prestigia determinado setor e o torna mais eficiente. Mas isso nem sempre é verdade. Com uma profusão de ministérios, é provável que muitos ministros nem consigam despachar com o presidente da República ou o encontrem só uma vez por mês", analisa.

Para o economista Raul Velloso, o governo deveria fazer um diagnóstico sobre a relevância de cada ministério antes de decidir criá-lo.

"Para o governo eleito, criar ministérios pode ser importante dar uma roupagem mais forte a alguns assuntos por causa da prioridade política. Mas não vejo necessidade de alguns ministérios cogitados por Lula porque o tamanho da tarefa não é tão grande quanto a necessidade daquela pasta. Ele poderia fazer secretarias, que são menos custosas, e dar a atenção devida ao tema sem precisar da estrutura pesada de um ministério", comenta.

Na avaliação dele, "o governo precisa saber qual área precisa de uma atenção mais firme". "Hoje, o país precisa retomar o crescimento econômico e expandir investimentos, o que é algo complexo e difícil.

Dessa forma, vejo os futuros ministérios do Planejamento e da Fazenda como indispensáveis. Concentrar essas áreas em um único ministério não garante que os principais assuntos sejam cobertos da forma que merecem."

Com informações do R7

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS