JUAZEIRO-BAHIA: Após denuncia de negligência no hospital materno infantil, Secretaria de Saúde emite nota de esclarecimento

Foto redes internet/Google/Ascom/PMJ
Da redação

Após matéria-denúncia publicada no blog de noticias  RedeGN por parte dos familiares acusando de negligência a  Maternidade de Juazeiro (BA), A Sesau emitiu a seguinte nota à imprensa:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Secretaria de Saúde de Juazeiro esclarece que não houve qualquer negligência por parte da equipe da Maternidade Municipal à paciente Érika Maiane Ribeiro Barros.

Ela chegou à unidade no fim da tarde do dia 31 de dezembro já sem movimentos fetais, segundo ela, há mais de 24 horas e foi constatado que o bebê já não apresentava os sinais vitais.

O protocolo médico, neste caso, orienta que o feto nasça de forma normal. Porém, como não houve evolução, foi realizado procedimento de cesárea no início da tarde deste sábado (1º).

A Maternidade de Juazeiro ressalta que foram prestados todos os atendimentos necessários à paciente. Destaca, também, que o feto apresentava descamação pelo corpo, evento natural e esperado após o óbito dentro do útero, que nada tem ligação com traumas ou maus-tratos.

A Maternidade de Juazeiro se solidariza com a família, lembrando que todo o atendimento seguiu os protocolos médicos. A unidade se mantém à disposição da família para maiores esclarecimentos.

Texto de Amanda Franco - Assessora de Imprensa da Secretaria de Saúde

ENTENDA O CASO

Segundo Paula Micaelen Ribeiro Ferreira que é irmã e acompanhou a paciente Érika Maiane Ribeiro Barros na Maternidade Municipal “a gente passou a semana toda com ela indo pra maternidade, ela já sentindo as dores do parto e eles dando buscopan na veia e mandando ela prá casa até passas as dores” revelou.

“Na sexta-feira (31), um dia antes do parto, ela esteve no médico e a criança estava bem, porém no sábado (01) Érica apresentou um quadro febril e a gente retornou com ela na maternidade e passou o dia inteiro nos corredores sentindo dores e nada de atendimento” continuou Paula Micaelen.

“Somente no finalzinho da tarde um médico fez o parto e a bebê já estava morta” explicou Paula. Nos diversos áudios encaminhados à nossa redação, familiares, inclusive, o pai revelam que a criança estava toda cortada sinais da dificuldade no parto tendo em vista que a paciente não teve indução para fazer a criança nascer.

A principal reclamação da família de Érica Maiane que reside no bairro Dom José Rodrigues é evitar que esse trauma se repita com outras pessoas.

Recentemente a diretora da Maternidade de Juazeiro, Érica Góes declarou que “o objetivo da Maternidade de Juazeiro é atender as mulheres que chegam aqui sempre da melhor forma, sem distinção, fazendo com que todas se sintam acolhidas e seguras. Temos o intuito de estar sempre melhorando o nosso atendimento”, mas não foi essa a sensação da família. (RedeGN)


Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS