ESPAÇO DO LEITOR: Mundo preto e branco ou mundo preto e mundo branco ?

Foto reprodução do seriado "Todos  odeiam o Cris"Divulgação/ CBS Television Distribution
Por: Wilberstein Sandersflip

Já ouviram falar de "Trote Universitário"? Trata-se de uma "brincadeira" que serve como ritual de recepção de novos alunos. É muito comum em Universidades e quartéis, pois teve/tem origem militar.

Além de ser uma comemoração pela aprovação/ingresso na nova carreira, é também uma forma de deixar claras as relações de hierarquia. Veteranos querem deixar bem clara sua posição de comando sobre os calouros. Por exemplo, na Agronomia (Juazeiro), vi novatos serem banhados com estrume, melados com ovos podres, farinha, caminharem descalços na lama...Isso sem falar sobre roupas rasgadas e abusos de bebidas alcoólicas.

Na USP, por exemplo, um calouro morreu afogado na piscina no Trote de Medicina. Enfim... Quem passou pelo trote sabe que se tratou de um "bullyning" de intensa concentração. É uma situação bastante desagradável.

Entretanto, o que acontece quando o veterano se forma ? Simples. O calouro se torna veterano e passa a ter o direito de recepcionar os novos calouros.

E o que esse agora veterano vai fazer: manter a tradição do trote ou lutar para acabar com o mesmo, haja vista que ele já passou pela situação que lhe deixou lembranças desagradáveis?

Ora, se o trote existe até hoje, significa que, contraditoriamente, uma pessoa que foi machucada injustamente se sente no direito de machucar também injustamente outras pessoas que nada fizeram de errado, apenas pelo simples fato de estarem numa posição de comando dada por uma circunstância histórica.

Nesse Dia Nacional da Consciência Negra, é justamente isso que quero evitar e combater.  Geralmente, grupos que são hostilizados, quando chegam ao poder, costumam agir com extrema arrogância e brutalidade. Como se quisessem se vingar pelo que outrora sofreram. E aí decidem atirar a esmo em pessoas inocentes. 

Nesse exemplo, o atleta Gerson alegou ter ouvido de Ramirez que ele foi injurioso contra ele usando termos racistas. Leia acessando o link: ( Gerson acusa Ramirez de injúria racial em Flamengo x Bahia : "Ele falou 'cala a boca, negro')

O atleta Ramirez sofreu toda sorte de ofensas e ameaças, as quais também chegaram à sua família, na Colômbia O próprio Bahia, clube que defende, decidiu esquecer a presunção de inocência, e afastá-lo porque, nas palavras do Presidente do Bahia, nesses casos, é muito importante acolher a vítima, para não estimular a impunidade. O atleta foi afastado e o Bahia, mesmo com risco de rebaixamento, não pôde contar com ele.Leia acessando o link: (Ministério Público pede, e juiz decide arquivar inquérito de racismo de Ramírez, do Bahia)

Aí, vejam o que ocorreu. Ou seja, nem mesmo o próprio Flamengo, após revirar as imagens, conseguiu provar a injúria racial.

A presunção de inocência determina que todos sejam tratados como inocentes até que seja provada a culpa.

No caso do machismo, do racismo e da homofobia, isso não ocorre.

Basta uma mulher, um negro ou um LGBT alardear que sofreu um ataque que, automaticamente, a sociedade começa a fazer um linchamento moral.

Todo homem virou potencialmente machista.

Todo branco virou potencialmente racista.

Todo heterossexual se tornou potencialmente homofóbico 

Aí os patrocinadores exigem o afastamento do acusado.

Ninguém se importa com o estrago feito na vida pessoal e psicológica, mesmo quando é inocente.  Esse clima é bastante ruim e mais contribui para a segregação do que para a avença.

Pois quando uma pessoa sabe que corre o risco de ser mal interpretada por alguém, no que se refere a temas tão delicados, ela evita estar entre essas pessoas e tocar nesses temas.Pois já existe uma patrulha do politicamente correto pronta para entregar qualquer pessoa que eles julguem machistas, racistas e homofóbicas para o Tribunal da Inquisição da Internet e Redes Sociais.

Foi assim no BBB 21.

Não sei se houve/haverá concordância. É desejável e agradável conseguir a concordância, mas o essencial mesmo é haver entendimento.

Não estou gostando do rumo que a questão étnico-racial tomou no Brasil(e no mundo). Esse grupo defende a existência de um racismo climático. (Leia acessando o link: Movimento negro brasileiro une 241 entidades contra racismo climático)

Esse diz que existe um racismo alimentar. Leia acessando o link: (Racismo alimentar)

Essa professora chega a afirmar que o próprio "TEMPO" é racista. Leia acessando o link:  ( Professora feminista de estudos de gênero afirma “O tempo é racista!)

Esses defendem que a Matemática reprova mais aos negros porque ela é ensinada de forma racista. Por essa razão, criaram a Afromatemática, acreditando que os negros se interessarão e aprenderão com mais eficiência e prazer a Matemática, caso se sintam incluídos e representados na Disciplina. Se a moda pegar, teremos que ter Afroquímica, Afrofísica e AfrobiologiaLeia acessando o link: (Afro-matemática será matéria obrigatória em curso de universidade federal )

Sinceramente, isso não me representa de forma alguma.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS