ARTIGO: Efluentes: tipos, classificações e qual tratamento adequado?



O processo de tratamento de efluente consiste na remoção de impurezas das águas residuais, ou esgoto, antes que alcancem aquíferos ou corpos d’água naturais, como rios, lagos, estuários e oceanos. Como a água pura não é encontrada na natureza (ou seja, fora de laboratórios químicos), qualquer distinção entre água limpa e água poluída depende do tipo e da concentração de impurezas encontradas na água, bem como de seu uso pretendido.

Em termos gerais, diz-se que a água é poluída quando contém impurezas suficientes para torná-la imprópria para um uso específico, como beber, nadar ou pescar.

Embora a qualidade da água seja afetada pelas condições naturais, a palavra poluição geralmente implica atividade humana como fonte de contaminação. A poluição da água, portanto, é causada principalmente pela drenagem de águas residuais contaminadas em águas superficiais ou subterrâneas, e o tratamento de águas residuais é um elemento importante do controle da poluição da água.

O que são efluentes?

Efluentes (ou também água residual) é qualquer tipo de água usada afetada por processos domésticos, comerciais ou industriais. A água usada que sai da casa de uma pessoa, de uma escola ou de um prédio de escritórios é um esgoto. O mesmo ocorre com a água produzida durante as operações industriais, como fabricação de papel, roupas ou fabricação de produtos químicos.

A composição da maioria dos efluentes (exceto industrial) é composta por cerca de 99,9% de água. Os 0,1% restantes consistem em contaminantes como matéria orgânica, matéria inorgânica e microrganismos que precisam ser removidos.

Embora representem uma fração muito pequena, a natureza dessas impurezas e os grandes volumes de esgoto em que são transportadas tornam o descarte de águas residuais domésticas um problema técnico significativo. As principais impurezas são materiais orgânicos putrescíveis e nutrientes para as plantas, mas é muito provável que o esgoto doméstico contenha micróbios causadores de doenças.

Os efluentes industriais geralmente contêm compostos químicos específicos e facilmente identificáveis, dependendo da natureza do processo industrial. Esses compostos podem ser os produtos finais, precursores ou intermediários do processo, ou impurezas e subprodutos. Uma das características distintivas dos efluentes de origem industrial, em comparação com as águas residuais municipais, é que muitas vezes podem conter uma mistura de substâncias diferentes e muito tóxicas.

Como funciona o tratamento de efluente?

O tratamento convencional de águas residuais consiste em uma combinação de processos e operações físicos, químicos e biológicos para remover sólidos, matéria orgânica e, às vezes, nutrientes das águas residuais. Os termos gerais usados ​​para descrever diferentes graus de tratamento, em ordem crescente de nível de tratamento, são tratamento de águas residuais preliminar, primário, secundário e terciário e / ou avançado.

Preliminar

O objetivo do tratamento preliminar é a remoção de sólidos grosseiros e outros materiais grandes frequentemente encontrados em águas residuais brutas. A remoção desses materiais é necessária para melhorar a operação e manutenção das unidades de tratamento subsequentes.

As operações de tratamento preliminar geralmente incluem peneiramento grosso, remoção de areia e, em alguns casos, trituração de objetos grandes. Em câmaras de areia, a velocidade da água através da câmara é mantida suficientemente alta, ou ar é usado, de modo a evitar a sedimentação da maioria dos sólidos orgânicos.

A remoção de areia não é incluída como uma etapa de tratamento preliminar na maioria das pequenas estações de tratamento de águas residuais. Às vezes, os trituradores são adotados para complementar a triagem grosseira e servem para reduzir o tamanho de partículas grandes, de modo que sejam removidas na forma de lama em processos de tratamento subsequentes.

Primário

O objetivo do tratamento primário é a remoção de sólidos orgânicos e inorgânicos sedimentáveis ​​por sedimentação e a remoção de materiais que irão flutuar (espuma) por escumação. Aproximadamente 25 a 50% da demanda bioquímica de oxigênio de entrada (BOD5), 50 a 70% do total de sólidos suspensos (SS) e 65% do óleo e graxa são removidos durante o tratamento primário.

Algum nitrogênio orgânico, fósforo orgânico e metais pesados ​​associados a sólidos também são removidos durante a sedimentação primária, mas os constituintes coloidais e dissolvidos não são afetados. O efluente das unidades de sedimentação primária é denominado efluente primário.

Secundário

O objetivo do tratamento secundário é o tratamento posterior do efluente do tratamento primário para remover os resíduos orgânicos e sólidos em suspensão. Na maioria dos casos, o tratamento secundário segue o tratamento primário e envolve a remoção de matéria orgânica coloidal e dissolvida biodegradável usando processos de tratamento biológico aeróbio.

O tratamento biológico aeróbio é realizado na presença de oxigênio por microrganismos aeróbios (principalmente bactérias) que metabolizam a matéria orgânica na água residual, produzindo assim mais microrganismos e produtos finais inorgânicos (principalmente CO2, NH3 e H2O).

Vários processos biológicos aeróbicos são usados ​​para o tratamento secundário, diferindo principalmente na maneira como o oxigênio é fornecido aos microrganismos e na taxa na qual os organismos metabolizam a matéria orgânica. São exemplos de configurações anaeróbicas: lodos ativados, filtro biológico, lagoa aerada etc. O UASB é a principal tecnologia anaeróbia utilizada para tratamento de efluentes.

Terciário / Avançado

Tratamento de águas residuais terciário e / ou avançado é empregado quando constituintes específicos de águas residuais que não podem ser removidos por tratamento secundário devem ser removidos.

Os processos de tratamento individuais são necessários para remover nitrogênio, fósforo, sólidos suspensos adicionais, orgânicos refratários, metais pesados ​​e sólidos dissolvidos.

Como o tratamento avançado geralmente segue um tratamento secundário de alta taxa, às vezes é chamado de tratamento terciário. No entanto, os processos de tratamento avançados às vezes são combinados com tratamento primário ou secundário (por exemplo, adição de produtos químicos a clarificadores primários ou bacias de aeração para remover fósforo) ou usados ​​no lugar de tratamento secundário (por exemplo, tratamento de fluxo superficial de efluente primário).

Exigências legais: o que eu devo cumprir?

Na legislação ambiental, há normas pertinentes ao tratamento de efluentes. Existe um rigor sobre o manejo dos efluentes, pois eles podem pôr em risco o meio ambiente e a saúde humana. Sendo assim, as empresas que se responsabilizam por esses resíduos precisam ser vigilantes, conhecendo e aplicando as normais ambientais devidas.

As indústrias são responsáveis pelo tratamento da água e de seus efluentes. O Código das Águas, criado em 1934, Decreto 24.643, foi o primeiro a abordar o assunto posteriormente, a Política Nacional dos Recursos Hídricos (Lei das Águas), atualizou o tema para os dias atuais, definindo os padrões de qualidade das águas que receberão os efluentes tratados.

Ainda a nível federal, também merece uma atenção especial a Resolução CONAMA 430/11, que dispõe sobre condições, parâmetros, padrões e diretrizes para lançamento de efluentes em corpos de água. Esta resolução altera e complementa a Resolução nº 357, de 17 de março de 2005, do CONAMA.

Os Estados também de seus próprios instrumentos legais para legislar sobre este tema, Em São Paulo, por exemplo, prevalece as diretrizes do Decreto Estadual 8468/76 tanto para lançamento direto no corpo receptor de efluentes, conforme estabelece o artigo 18, quanto para lançamento indireto, estabelecido pelo artigo 19 A.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305, deve contribuir para o avanço no tratamento de efluentes, na gestão dos resíduos e aumentar a consciência das empresas quanto ao seu impacto no meio ambiente.

É importante que a indústria conheça essas leis e decretos para saber exatamente qual o seu tipo de efluente, qual o tipo de tratamento necessário e como se enquadrar na legislação, tanto para saber quais são seus direitos e deveres, quanto para obter o licenciamento ambiental e evitar multas e penalizações.

Isso porque a fiscalização das empresas por órgãos ambientais é intensificada de acordo com o grau de poluição ou volume de efluentes lançados. No estado de SP, a fiscalização para lançamento direto e indireto no corpo receptor é feito pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb).

Ainda existe a possibilidade de fiscalização por parte do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que pode ocorrer se houver lançamentos fora dos parâmetros permitidos e que causam danos à biodiversidade (solo, água, flora e fauna).

A importância de uma correta gestão ambiental e gerenciamento de resíduos

As geradoras de efluentes industriais nem sempre se ocupam do gerenciamento das águas residuais, terceirizando o serviço para as tratadoras. Entre os motivos para a transferência do manejo está o rigor ambiental que precisa ser seguido para o tratamento de efluentes.

Além de conhecer os padrões do CONAMA para efluentes, também é dever da tratadora portar o licenciamento ambiental. Essa documentação é essencial, pois é a garantia de que a tratadora atua sem gerar impactos ambientais. Para conquistar o licenciamento ambiental a tratadora deve comprovar que as características do empreendimento estão em conformidade com a legislação. Deve garantir, também, que trabalha com procedimentos corretos para tratar os efluentes.

Outro item exigido é o CTF-AIDA. Trata-se do Cadastro Técnico Federal de Atividades e Instrumentos de Defesa Ambiental. Funciona como uma espécie de licença concedida pelo IBAMA. Esse documento é exigido a todos os profissionais envolvidos com atividades potencialmente poluidoras.

Gestão ambiental adequada dos efluentes

As tecnologias de tratamento de efluentes são fundamentais, mas o cumprimento das leis ambientais também é essencial para a credibilidade de uma empresa. As tratadoras que funcionam ilegalmente estão sujeitas a sanções, incluindo as punições da Lei de Crimes Ambientais. Criada em 1998, a lei prevê advertências, multas, embargos, paralisação temporária ou definitiva de organizações ecologicamente incorretas.

Ser enquadrado por descumprimento de leis ambientais pode prejudicar seriamente a reputação da tratadora. A credibilidade da empresa pode ficar comprometida diante da opinião pública e de sua clientela. Pode haver dano de imagem até para a geradora que também é corresponsável pelo manejo de seus resíduos, mesmo que terceirize o serviço.

Diante desse contexto, o VGR Resíduos aparece como uma solução prática e funcional que permite à sua empresa: realizar a gestão completa do processo por meio da centralização de informações; monitorar históricos de dados; e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios confiáveis.

Além disso, a empresa oferece o Mercado de Resíduos, uma plataforma digital onde a tratadora de efluentes pode potencializar seus negócios. Trata-se de um software que conecta geradores e tratadores de resíduos, aproximando clientes e prestadores de serviços.

Para ter a tranquilidade de ser responsável e com consciência ambiental no tratamento e descarte de águas residuais, trabalhe com a VGR Resíduos. A plataforma será te auxiliar e fornecer soluções personalizadas e prontas para uso, permitindo que você gaste menos tempo no gerenciamento de resíduos, e sobre mais tempo se concentrando nos aspectos essenciais do seu negócio.

 

Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS