STF JULGA NA PRÓXIMA SEMANA SUSPEITAS CONTRA PAULINHO DA FORÇA


Foto reprodução internet/Google

Da Redação
Prof. Taciano Medrado

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga na terça-feira da próxima semana se condena ou absolve o deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD-SP), acusado pelo Ministério Público de crimes contra o sistema financeiro nacional e de lavagem de dinheiro em um esquema envolvendo recursos desviados de financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Paulinho da Força é réu desde 2015 sob a acusação de receber porcentuais de variavam de 2% a 4% dos valores de empréstimos concedidos pelo BNDES. Conforme a acusação do Ministério Público, o esquema criminoso envolvia a falsificação de notas fiscais para justificar a aplicação de recursos repassados pelo banco de fomento. Relatório da Polícia Federal mostra que o deputado teria se beneficiado de recursos provenientes de parcelas de empréstimos concedidos pelo BNDES às Lojas Marisa e à prefeitura de Praia Grande. O caso foi investigado na Operação Santa Tereza, da Polícia Federal, em 2008.

Em conversas telefônicas monitoradas pelos investigadores, o grupo fala de uma “parte de Paulinho”, supostamente em referência a repasses irregulares para o deputado federal. Quando acolheu os argumentos do Ministério Público e transformou o parlamentar em réu, ministros do STF afirmaram que planilhas e cheques evidenciavam a partilha dos valores, lavados sob o argumento de consultorias inexistentes e, em alguns casos, depositados na conta da ONG Meu Guri, ligada ao deputado, e na conta do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Pesquisa Política, Social e Cultural do Trabalhador.

“A denúncia apontou que a suposta associação criminosa seria composta, entre outros, pelo acusado [Paulinho], que se utilizaria sua influência junto ao BNDES para conseguir aprovação do financiamento, cobrando como contrapartida, comissões, que variavam de 2% e 4% do valor financiado. A influência exercida decorreria dos cargos ocupados pelo acusado, deputado federal, e de presidente da Força Sindical”, disse na ocasião o relator do caso, Teori Zavascki. O advogado Marcelo Leal, responsável pela defesa de Paulinho da Força, disse a VEJA que vai provar a inocência do deputado.

Fonte: VEJA
Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ENQUETE

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS