EDITORIAL: Não basta ter sido eleito presidente é preciso ter governabilidade. o Lulapetista terá?

(*) Taciano Gustavo Medrado Sobrinho

Olá carissimo(a)s leitore(a)s, vou começar esse editorial comentando sobre  o que é “Governabilidade”, termo que se tem ouvido falar muito nesses últimos tempos, devido as eleições, quando o Brasil acaba de eleger um presidente que está na iminência de tomar posse, mas  que não terá maioria no congresso e nem no senado,  o que poderá  dificultar e comprometer o seu mandato, se não tiver esse  pré-requisito essencial a um mandatário de uma nação. 

Mas o que é governabilidade?

Segundo a literatura disponível, a governabilidade consiste em um termo diretamente relacionado com a legalidade, ou seja, a oficialização do ato de governar. Um governo só pode ser propriamente dito um, quando tem a ‘habilidade’ para assumir a governança.

Sendo assim, a circunstância que envolve o conceito de governabilidade demanda de estabilidade social, política ( o que não está acontecendo com o Lulapetista),  e é claro, financeira, para que o poder executivo realmente permita àquele determinado governo o exercício de suas funções de maneira concreta e estável.

O termo governabilidade também remete a necessidade desse governo de atender às principais demandas e mudanças da sociedade. Além disso, é certo afirmar que tanto a governabilidade, como a governança, e esta última está relacionada à legitimidade, a gestão eficiente e a capacidade de ação e implementação de políticas públicas pelo Estado e pela maneira pela qual o Estado exerce seu poder.

Portanto, ambas, governabilidade e governança estão relacionada com o direito de cidadania e de poder.

Os principais objetivos da governabilidade

É certo afirmar que a governabilidade tem uma série de aspectos a serem cumpridos na comunidade em que se insere, sendo alguns deles:

Necessidade de atender com as principais demandas da população;

• deve ser não só a única, mas também a melhor decisão com base no que o povo quer e precisa, sem fazer com que a aprovação popular seja deixada de lado;

• Administração de todos os pilares do governo, cuidando de aspectos políticos, sociais e financeiros que interessem à população daquele determinado estado;

•Gestão pública de uma forma geral.

Principais características da governabilidade

A governabilidade é traduzida na própria legitimidade do estado em que se insere, colocando o seu governo à frente para atingir a todas as necessidades da população como um todo. Os governos, desde sempre, devem enfrentar uma série de problemáticas para que verdadeiramente assumam a sua condição positiva de governabilidade.

Em um âmbito geral a governabilidade consiste na própria aptidão, ou habilidade para governar. Seja um bairro, um município, um estado ou um país: essa capacidade é necessária para que a governabilidade seja exercita com êxito. Geralmente esse termo se aplica na administração pública.

Fonte: Resumo Escolar

(*) Professor, Administrador, Engenheiro, Matemático e Psicopedagogo

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS