JOGOU A ISCA E DEU CERTO: Lewandowski sugere e o Lulapetista acolhe, e já insinua nomear um civil para o ministério da defensa. Adivinhem quem é um dos nomes?

Foto divulgação

Da redação
Por Taciano Medrado

Depois que o ministro, quase aposentado, do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski defendeu na última  segunda-feira, 14, a indicação de um nome civil para ocupar o Ministério da Defesa no futuro governo durante palestra  no evento  Brazil Conference,  organizado pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais) e que reuniu cinco ministros e um ex-ministro do STF em Nova York, o  “Lulapetista”, parece ter comprado a ideia e afirmou que já pensa em nomear um civil como novo ministro da defesa, rompendo com a legislatura anterior em que havia uma presença constante de pessoal militar no governo, e entre os candidatos estaria, é lógico o propositor da ideia, o juiz do Supremo Tribunal,  já quase aposentado,Ricardo Lewandowski.

O juiz Lewandowski é do agrado de Lula, embora a equipa de transição do governo suspeite que a sua nomeação possa causar agitação nas instituições militares, depois de muitos membros das forças armadas também terem aceitado as críticas do Supremo Tribunal por parte do Presidente cessante Jair Bolsonaro.

O objetivo de Lula é ter um ministro da defesa que, por um lado, tenha um bom diálogo com as forças armadas, mas ao mesmo tempo saiba como reduzir a influência que os militares têm tido até agora na política brasileira.

Ao contrário de outras pastas, onde os nomes que irão ocupar as diferentes áreas já estão bem definidos, na Defesa há muitas áreas onde ainda não existe consenso. Estes são os casos do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e da Agência de Inteligência, ambos vagos

Dada a falta de consenso, muitos acreditam que o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, poderia ser uma boa ligação entre o futuro governo e os militares, graças ao respeito que eles têm por ele. Contudo, o próprio Lula excluiu anteriormente que o seu 'número dois' seria o chefe de um ministério.

Outro nome na mesa é o do ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Aloysio Nunes, do conservador Partido da Social-Democracia Brasileira (PSDB) e aliado de Alckmin, que, no entanto, não é apreciado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), segundo o jornal "O Globo".

Celso Amorim, ex-ministro dos negócios estrangeiros sob Lula e ex-ministro da defesa sob Dilma Rousseff, também está na corrida, embora não fosse a opção preferida para a liderança militar, o que seria favorável a José Aldo Rebelo, que detinha várias pastas sob o antigo presidente brasileiro, incluindo a defesa.

Com informações do 360 News

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS