DIA NACIONAL DE COMBATE AO FUMO: Especialistas fazem alerta sobre os danos causados pelo tabaco no Dia Nacional de Combate ao Fumo

Foto ilustração

Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 8 milhões de pessoas morrem ao ano por conta do cigarro 

No próximo dia 29 de agosto será celebrada uma importante data no calendário de saúde, o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Os males causados pelo consumo do tabaco são muitos, como diversos tipos de câncer, infarto, AVC, impotência sexual, DPOC (Doença Pulmonar Crônica), entre outros. É preciso lembrar que uso de cigarro eletrônico, também conhecido como Vape, pode ser tão prejudicial quanto o cigarro tradicional.   

A Organização Mundial da Saúde aponta que o tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas por ano. Mais de 7 milhões dessas mortes resultam do uso direto do produto, enquanto cerca de 1,2 milhão é resultado de não-fumantes expostos ao fumo de forma passiva.   

Daniel Messias Martins Alves Neiva, pneumologista e professor da faculdade de Medicina Estácio, que é vinculada ao Instituto de Educação Médica (IDOMED), explica que o tabagismo é uma doença crônica não transmissível, causada pela dependência do usuário à nicotina presente nos cigarros. “Essa dependência integra o grupo de transtornos mentais, comportamentais ou de neurodesenvolvimento e o tratamento varia de acordo com o perfil de cada paciente. Entretanto, ter conhecimento sobre os danos causados à saúde pelo uso do tabaco não basta. É preciso consciência de que o tabagismo se trata de uma doença e que é necessário investir em tratamento adequado, que muitas vezes, é multidisciplinar”, explica.   

No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece aos tabagistas, através do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT), acompanhamento e tratamento para a dependência. Por meio do programa, diversas ações são geradas para reduzir a aceitação social do tabagismo.   

Tratamentos   

Vale destacar que existem dois tratamentos disponíveis: os medicamentosos, que ocorrem através da reposição de nicotina (por adesivo transdérmico ou goma de mascar) e da utilização do cloridrato de bupropiona. Já os não medicamentosos são focados no comportamento, condicionamento e promoção da saúde.   

É importante que o tabagista procure ajuda médica, pois, com ajuda profissional, as chances de recaída e abstinência são menores. Saulo Batista é coordenador do curso de psicologia da Estácioe afirma que, atualmente, há terapias baseadas em pesquisas científicas muito eficazes no combate ao tabagismo. Contudo, é preciso muita dedicação e persistência por parte de quem procura o tratamento.   

“O suporte que o tratamento psicológico oferece é fundamental. Muitas vezes, o paciente não se considera viciado em nicotina e sente vergonha de expressar essa dependência. É um trabalho em conjunto, que exige tempo, autoconhecimento, autocontrole e apoio da família e amigos”, encerra o professor.

Texto e foto: Ascom/IDOMED

Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com  / Siga o blog do professorTM/EJ  no Facebook, e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

 

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS