NOTÍCIAS INTERNACIONAIS: Oriente médio - Forças de coalizão matam dezenas de combatentes da Al-Qaeda no Iêmen

Coalizão liderada pela Arábia Saudita atua no Iêmen contra os houthis desde 2015 (Foto: Ahmed Farwan/Flickr)

Da   Redação

Um ataque empreendido pela coalizão liderada pela Arábia Saudita teria matado dezenas de combatentes da Al-Qaeda na província de Al-Bayda, no Iêmen. Entre os mortos estariam figuras importantes do grupo, de acordo com o site iraniano ABNA. As informações são do site de notícias internacionais A Referência.

A ação foi encabeçada pelas forças governamentais do Iêmen e ocorreu entre sexta (2) e sábado (3). Os militares concentraram seus ataques nos distritos de al-Soma’a e Dhi Naem. Entre os mortos está Abu Dhar al-Tayabi, o líder da Al-Qaeda na região.

O Ministro da Informação do governo exilado do Iêmen, Muammar Al-Eryani, anunciou na semana passada que o exército iemenita e as forças de coalizão lançaram uma operação militar em grande escala chamada The Piercing Star, com o objetivo de libertar Al-Bayda.

A coalizão atua em Al-Bayda contra a milícia houthi, que tem suporte do governo do Irã e domina o Iêmen atualmente. A única região do país sob o domínio do governo, apoiado pela Arábia Saudita desde 2015, é Marib. Uma coalizão tenta impedir o avanço dos rebeldes houthis na região desde fevereiro.

Desastre humanitário

A guerra entre governo e os houthis já dura sete anos. A crise humanitária decorrente dos combates é tida como o mais grave do mundo. Em meio aos confrontos, cerca de dois milhões de civis migraram para cerca de 140 alojamentos improvisados no meio do deserto. Há relatos de que os houthis recrutam menores – em especial crianças – para a linha de frente das batalhas e para esgotar as munições das forças adversárias.

Os rebeldes intensificaram os ataques com mísseis e drones contra a Arábia Saudita desde que Washington incluiu o grupo em sua lista de grupos terroristas internacionais, em janeiro. Os houthis rejeitam a proposta saudita de cessar-fogo e exigem a abertura do espaço aéreo e dos portos do Iêmen.

A guerra do Iêmen começou no final de 2014, após o grupo rebelde houthi, alinhado ao Irã, expulsar o governo da capital Sanaa. Uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita interveio a favor dos antigos governantes, acusados de corrupção pelos militantes de oposição.


Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS