NOTÍCIAS INTENACIONAIS :Com abertura para cannabis, farmacêuticas preparam tratamento contra o vício

Plantação de maconha em Toronto, Canadá, junho de 2020 (Foto: Divulgação/Unsplash/ Richard T.)
Da redação
Por: Taciano Medrado

abertura para a legalização da cannabis tem levado a indústria farmacêutica a desenvolver tratamentos para curar o vício nos ativos da planta, reportou a Bloomberg. As informações são do site de notícias internacionais A Referência

Na Europa, a britânica Indivior deve investir US$ 130 milhões para desenvolver o medicamento em parceria com a francesa Aelis Farma. Os direitos, posteriormente, caberiam à Indivior, com a expectativa de colocar o produto no mercado em seis anos.

As empresas estão entre as dezenas que já pesquisam formas de combater ou tratar o transtorno. Pelo menos 69 estudos estão registrados no site de testes clínicos dos EUA. Pelo menos um terço já recruta ou inscreve pessoas para as pesquisas.

A corrida leva até uma mina de ouro: a agência de regulação sanitária dos EUA, Food and Drug Administration, ainda não possui medicamentos indicados para o tratamento. A tendência é que o aval seja sinônimo de lucro no instante em que saírem os primeiros resultados.

Só nos EUA, o número crescente de estados que já aprovou o uso de maconha pavimenta o caminho para uma legalização federal. Previsões da organização pró-cannabis New Frontier Data já apontam que a indústria deve alcançar US$ 41,5 bilhões em 2025.

Enquanto isso, pesquisas citadas pelo Instituto de Abuso de Drogas os EUA sugerem que 9% a 30% dos usuários de maconha podem se tornar dependentes. Conforme o diretor da Indivior, Mark Crossley, estimativas apontam que a potência da cannabis aumentou cinco vezes nas últimas décadas.

Uso liberado

“Na prática, há uma probabilidade significativamente maior de as pessoas desenvolverem transtornos pelo uso da maconha hoje”, disse. Em 2020, a empresa pagou US$ 600 milhões em lobby para resolver investigações sobre o marketing ilegal de um tratamento de dependência de opióides nos EUA.

Desde o início de 2021, mais de 16 milhões de norte-americanos têm acesso à erva sem necessidade de justificativa médica. Um terço da Câmara e um quarto do Senado representam locais com maconha legalizada.

Nos EUA, o movimento de legalização da maconha começou há cerca de uma década, puxado pelos Estados do Colorado, no meio-oeste, e Washington, na costa do Oceano Pacífico. Hoje, países como Holanda, Uruguai, México e Zimbábue já flexibilizaram regras sobre o consumo e produção.


Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS