ABUSO DE AUTORIDADE: PM AMEAÇADO POR TENENTE-CORONEL AO GUINCHAR CARRO DE VEREADORA EM MARÍLIA - SP


Tenente-coronel Márcia Crystal, comandante da PM em Marília — Foto: Câmara de Marília/Divulgação

Da:  Redação
Prof. Taciano Medrado

O policial militar de Marília (SP) que se envolveu em uma polêmica ao ser ameaçado por uma tenente-coronel após guinchar o carro de uma vereadora ficou em primeiro lugar em curso de Policiamento de Trânsito promovido pela corporação.


O curso e a premiação aconteceram em São Paulo. O sargento Alan Fabrício Ferreira foi homenageado em pé na entrega do troféu.


Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver o momento que Ferreira é chamado para receber o troféu de 1° colocado no Curso de Especialização Profissional Policiamento de Trânsito Urbano. Todos os demais PMs se levantam para aplaudir e ovacionam o policial .


No mês passado, Ferreira foi ameaçada pela tenente-coronel Márcia Crystal logo após guinchar o carro da vereadora Professora Daniela que, segundo ele, estava com licenciamento vencido e os pneus gastos.


Após o guinchamento, a vereadora ligou para Crystal, que então repreendeu e ameaçou Ferreira. O áudio da conversa entre Crystal e o PM viralizou nas redes sociais, e a agente pediu afastamento temporário do cargo.


Relembre o caso

Em agosto, o sargento foi punido depois de guinchar o carro da vereadora Professora Daniela (PL) - o veículo estava com o documentos vencidos e os pneus gastos, segundo ele.


Na ocasião, a vereadora ligou para a tenente-coronel Márcia Crystal, comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar de Marília, que entrou em contato com o sargento e ameaçou trocá-lo de função caso não tivesse "bom senso" nas abordagens. 


Depois de conversar com Daniela, Crystal pediu para que o PM não guinchasse o carro porque ele pertencia à vereadora.


Na ligação a que a TV TEM teve acesso, o policial explica que constatou que o carro da vereadora não tinha licenciamento e estava com os pneus gastos, motivo pelo qual decidiu abordar a filha dela, que dirigia o veículo, na Rua Carlos Botelho.


O policial informou, no áudio, que deu a oportunidade para que ela fizesse o pagamento via aplicativo, mas a jovem e o pai, que chegou ao local mais tarde, teriam dito que não tinham condições.




Depois de ouvir a história, a tenente-coronel pede para que o policial não ficasse “tumultuando” e diz que ele deveria ter apenas feito a orientação, sem apreender o carro.


“Porque isso daí é falta de bom senso, tá? Ela é vereadora. É, é, a condição, você pode muito bem estar fazendo e orientando, tá? E aí segunda-feira, ela pegaria o documento e não precisa apreender o veículo”, diz a tenente-coronel no áudio.

Em seguida, a comandante ameaça trocar o policial de setor se ele continuar agindo de tal maneira, já que ele teria desobedecido uma ordem superior.

Na ligação, a tenente-coronel afirma que o policial pode ser transferido do setor — Foto: TV TEM/Reprodução

“Se for desse jeito é o que eu to falando, você não vai estar mais segunda-feira no trânsito (...) porque essa aqui é uma ordem minha, você vai responder também”, continua a tenente coronel.

A conversa continua por mais alguns segundos e a tenente-coronel repete que o policial de trânsito deveria ter tido bom senso ao analisar a situação, já que a mulher é vereadora.


“Olha o que você tá causando, porque politicamente ela é vereadora. Não teve nem uma conversa, o que você está achando que você é?”, questiona no áudio.

A gravação da conversa entre o sargento e Crystal viralizou nas redes sociais e, em meio à polêmica, a tenente-coronel anunciou um pedido de licença de 15 dias. Na última sexta-feira (28), ex-PMs fizeram um protesto em solidariedade ao sargento que apreendeu o carro.


Polícia diz que sargento foi fazer curso


O Comando do Policiamento do Interior da região de Bauru (CPI-4), ao qual é subordinado o Batalhão de Marília, informou que o policial que efetuou a apreensão não foi afastado, mas estava matriculado em um curso em São Paulo, agendado para o dia 24 de agosto.


Por causa disso, segundo a PM, ele não iria exercer suas atividades em Marília até a conclusão do curso, que aconteceu nesta sexta-feira (4). Consultada, a PM ainda não confirmou se o sargento voltará às suas funções habituais.


O CPI-4 instaurou um inquérito, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), para investigar a conduta da tenente-coronel e do policial militar. Na última quarta-feira (2), a vereadora prestou depoimento no Comando da PM, mas o teor da conversa não foi informado.


Câmara abre Comissão para apurar caso

A Câmara de Vereadores de Marília aprovou na última segunda-feira (31), por unanimidade, a abertura de uma Comissão Processante (CP) para apurar a conduta da vereadora Professora Daniela.


Segundo os vereadores, a comissão irá apurar se a ligação da parlamentar para a oficial representou a prática de tráfico de influência, que pode indicar quebra de decoro parlamentar.

Vereadora que teve carro guinchado por PM diz que ligou para tenente-coronel para pedir informação em Marília — Foto: Claudio Farneres/TV TEM


Fonte: G1

Para ler outras matérias  acesse, www: professortacianomedrado.com

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ENQUETE

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS