OPINIÃO: Esquerda quer amordaçar discurso no Brasil, diz artigo do The Wall Street Journal, (“WSJ”)


Articulista da publicação norte-americana The Wall Street Journal, Mary Anastasia O’Grady diz que a “esquerda brasileira tenta amordaçar o discurso político”. Ela assinou um texto de opinião (aqui, para assinantes) publicado no site do jornal no domingo (23.out.2022) e na versão impressa de 2ª feira (24.out).

Segundo ela, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é “liderado por um juiz [Alexandre de Moraes] notoriamente anti-Bolsonaro”. A articulista diz que a Corte eleitoral “conquistou poderes extraordinários” que estão sendo usados “para amordaçar os críticos” do ex-presidente e candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Artigo “Brazil’s Left Tries to Gag Political Speech” (“Esquerda brasileira tenta amordaçar discurso político”, em tradução livre) foi publicado na edição impressa do “The Wall Street Journal” de 24 de outubro de 2022

O’Grady escreve uma coluna semanal sobre política, economia e negócios da América Latina e do Canadá. Ela ingressou no WSJ em agosto de 1995 e tornou-se redatora sênior da parte de editoriais em dezembro de 1999.

A articulista lembra que a Constituição brasileira proíbe a censura. Mas, segundo ela, “a repressão descarada do tribunal à liberdade de expressão alarmou a nação”. O’Grady diz que Moraes não dá sinais de que vá recuar em suas decisões.

“Se a democracia do Brasil está em risco, não está, como argumentam as classes tagarelas, por causa de Bolsonaro”, escreve.

O’Grady cita casos em que diz haver falta de fundamentação para as decisões do TSE. Entre elas, a desmonetização de canais do YouTube com conteúdo pró-Bolsonaro. A decisão foi dada pelo corregedor geral eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, e confirmada pelo TSE.

Em sua decisão, Gonçalves disse ver indícios de que há uma atuação “massificada” para difundir desinformação contra Lula. Segundo O’Grady, o TSE “não tem autoridade para aprovar ou desaprovar a opinião pública”.

Outro exemplo dado pela articulista é a proibição de que uma fala do ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello aparecesse em um programa de Jair Bolsonaro (PL) veiculado na TV em 19 de outubro. No trecho cortado, o magistrado aposentado diz que Lula não foi inocentado. No lugar da fala, aparece um QR Code que leva ao canal do Tribunal no WhatsApp.

A afirmação [de Marco Aurélio de Mello] é verdadeira mesmo que faça Lula eriçar”, afirma O’Grady

A articulista do WSJ diz que Lula “é particularmente sensível sobre sua condenação por corrupção em 2017”. A condenação, escreve O’Grady, “foi derrubada por um detalhe técnico em 2021”, fazendo com que Lula deixasse a prisão e pudesse concorrer à Presidência nas eleições de 2022.

Mas quando os brasileiros são lembrados do que o mandou para a prisão, eles podem relembrar os enormes escândalos de suborno e corrupção que surgiram durante os 14 anos –2003-201616– em que o Partido dos Trabalhadores ocupou a Presidência”, declara a articulista.

Para “esconder” que está livre “por um detalhe técnico”, Lula teria pedido ajuda a Moraes. “Isso nos faz pensar como será o Brasil se Lula vencer”, finaliza a articulista.

Fonte: Poder 360

Para ler a matéria na íntegra acesse nosso link na pagina principal do Instagram. www: professsortaciano medrado.com  e  Ajude a aumentar a nossa comunidade.

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.


Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS