Tribunal de contas do Município (TCM) rejeita as contas do Instituto de Previdência de Juazeiro – IPJ, relativas ao exercício de 2020, gestão professor Antônio Carlos .

Da   Redação

Na sessão desta quarta-feira (22/09), realizada por meio eletrônico, os conselheiros e auditores da 1ª Câmara do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia rejeitaram as contas do Instituto de Previdência de Juazeiro – IPJ, relativas ao exercício de 2020, da responsabilidade de Antônio Carlos dos Santos.

O gestor, apesar de notificado, não apresentou defesa final, razão porque foram mantidas as diversas irregularidades indicadas no relatório técnico. O conselheiro José Alfredo Rocha Dias, relator do parecer, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual, para que seja apurada a prática de ato ilícito pelo gestor. Ele também foi multado em R$10 mil.

Foi determinado, ainda, o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$3.340.552,01, com recursos pessoais, referentes a processos de pagamento não encaminhados para análise do TCM (R$3.094.682,49) e à ausência da efetiva comprovação de pagamento das folhas dos servidores (R$245.870,12).

O relatório técnico apontou, como irregularidades, a não apresentação de documentos exigidos pelas portarias do Ministério da Previdência Social; inconsistências nas peças contábeis; irregularidades em processos licitatórios; não remessa de contratos para análise do TCM; e o pagamento de multa da sua responsabilidade.

O IPJ arrecadou, no exercício, uma receita na ordem de R$74.472.936,80 e promoveu despesas no montante de R$39.975.543,26, o que revelou um superávit orçamentário de R$34.497.393,54. Cabe recurso da decisão. (Processo nº08460e21)

OUTRO LADO

O Instituto de Previdência de Juazeiro informa que a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios se refere a atos e omissões ilícitas promovidas pela Gestão eleita para o quadriênio 2017/2020.

Informa-se ainda, segundo razões divulgadas pelo próprio Tribunal, que há determinação expressa para devolução de R$ 3.340.552,01 (tres milhões , noventa e quatro mil e seiscentos e oitenta e dois reais e quarenta e nove centavos) pelo gestor do fundo que encerrou sua administração em 2020, tendo sido diagnosticado a irregularidades na prestação e informações e por omissão de obrigação legais.

Cabe salientar, por último, que a atual gestão tem realizado todos os atos necessários para regularização das inconsistências e falhas deixadas e que todos os esforços para recuperação e conservação do patrimônio dos servidores do Município serão depreendidos sem reserva.

Com informações do TCM-BA

 

Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.co

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS