OPINIÃO: A liberdade de expressão está sob ataque no Brasil e queremos que os americanos saibam dela

Fonte: AP Photo / Eraldo Peres

* por: Mario Balaban

Há treze anos, me mudei do Brasil para os Estados Unidos. Parte do motivo de eu ter saído foi porque minha família estava farta do crime, da corrupção e das políticas socialistas que se espalhavam pela minha antiga casa. Mas recentemente, com a eleição do presidente Jair Bolsonaro, que concorreu com uma plataforma anti-crime, anti-corrupção e anti-socialista, comecei a ter alguma esperança para o Brasil.

Desde que assumiu o cargo, Bolsonaro enfrentou uma batalha difícil. Embora ele tenha vencido a eleição por mais de 10 pontos percentuais, seus oponentes ainda estão tentando removê-lo do poder. Seu método? Usando a Suprema Corte para retirar os direitos de liberdade de expressão de seus apoiadores mais expressivos

O tribunal é composto por 11 ministros, sete dos quais foram nomeados pelo Partido dos Trabalhadores, de extrema esquerda, e quatro outros que foram nomeados por ex-presidentes brasileiros ainda sob investigação por corrupção generalizada.

O Supremo Tribunal Federal tem apenas um item em sua agenda: retirar do poder o presidente democraticamente eleito, Jair Bolsonaro, por todos os meios possíveis. Os juízes do tribunal não aceitaram os resultados das eleições de outubro de 2018 e detestam o histórico anti-estabelecimento de Bolsonaro. Dado que a grande maioria desses juízes foi nomeada por presidentes socialistas, sua atitude anti-Bolsonaro não é surpreendente para a maioria dos brasileiros.

O que vemos hoje é o culminar dos esforços do establishment socialista, que resultou na agora infame investigação "Fake News", lançada em 2019 pelo Supremo Tribunal Federal. Eles pretendem investigar “notícias falsas” em grande escala que acreditam estar colocando em risco as instituições democráticas brasileiras. Na realidade, a investigação não faz nada além de visar os defensores conservadores do Bolsonaro e forçá-los ao silêncio.

Para expor ainda mais o duplo padrão da investigação, nenhum ativista ou político marxista radical no Brasil foi investigado por espalhar notícias falsas. Nem mesmo quando defendem abertamente o ditador venezuelano Nicolas Maduro e afirmam que ele é um grande e honrado líder.

Até agora, a investigação de “Notícias Falsas” levou a apreensões de bens pessoais, censura e até mesmo prisões de um influenciador de mídia social e um jornalista. O que a investigação não fez foi encontrar “notícias falsas”.

Mesmo com a falta de provas, o Supremo Tribunal Federal decidiu dobrar as investigações.

Recentemente, o ministro da Suprema Corte, Alexandre de Moraes, que lidera a investigação “Notícias Falsas”, chegou a ordenar que o Facebook e o Twitter fechassem os perfis públicos das pessoas. A princípio, Facebook e Twitter não quiseram cumprir a ordem, mas foi aplicada uma multa diária de 20 mil reais (cerca de 3.750 dólares) que obrigou os gigantes das redes sociais americanas a cumprir.

O fato de que as empresas anti-conservadoras de Big Tech originalmente não queriam obedecer à decisão de censura de Moraes mostra o quão longe a Suprema Corte no Brasil foi. Mesmo essas empresas de Big Tech pensam que a Suprema Corte do Brasil está estabelecendo um precedente terrível para os direitos de expressão em todo o mundo, mas enfrentam multas se não seguirem as ordens do tribunal.

Moraes conduziu a investigação “Fake News” em completo sigilo, mal permitindo que as partes investigadas saibam de quais crimes estão sendo acusadas. Em junho, por exemplo, o advogado de um dos jornalistas conservadores investigados, Allan dos Santos, disse que ele e seu cliente estavam sendo mantidos no escuro sobre a investigação. Além disso, Allan disse que nem sabia se estava apenas sendo investigado ou se já era considerado réu neste caso. Apenas mais uma prova de que o comportamento irracional de Moraes é completamente sem precedentes e de natureza orwelliana.

Pior ainda, não há absolutamente ninguém no Brasil que possa impedir essa tirania. O Supremo Tribunal Federal é o poder judicial final, e eles são incontestáveis ​​à medida que procedem com esses atos hediondos contra as liberdades civis do povo brasileiro. Moraes continuará avançando com esta investigação, independentemente do clamor público contra ela. A razão pela qual essa investigação de “Notícias Falsas” existe, em primeiro lugar, é porque a Suprema Corte sabe que, ao criminalizar o pensamento conservador, eles serão capazes de criminalizar a presidência de Bolsonaro.

Até o momento, não existem leis no Brasil sobre “notícias falsas” que justifiquem tal investigação. Infelizmente, o Congresso do Brasil está ajudando a Suprema Corte votando para colocar essas leis nos livros. Líderes do Congresso brasileiro estão em processo de aprovação de uma lei que puniria com pena de prisão qualquer pessoa que postar o que considerassem "notícias falsas" e até querem monitorar as contas das pessoas nas redes sociais de uma forma que elimine toda e qualquer privacidade individual direitos. A lei é tão draconiana que até o grupo de esquerda Human Rights Watch se manifestou publicamente contra ela.

A verdade é que o desespero do establishment socialista e a necessidade de se manter no poder os colocou em um caminho sem volta: eles desejam restringir os direitos de expressão de forma permanente. Eles estão mais do que dispostos a gerar agitação política no Brasil para silenciar seus oponentes.

Enquanto converso com os brasileiros sobre essa situação, há um tema recorrente que eles me contam: os americanos devem saber o que está acontecendo no Brasil. Muitos brasileiros admiram os Estados Unidos e esperam que um dia seu país imite o modelo americano. Eles estavam orgulhosos de sediar o CPAC Brasil no ano passado e deram as boas-vindas a vários conservadores americanos para falar com eles. Durante todo o evento, os presidentes

Como patriotas, brasileiros e americanos devem unir forças contra os ataques às nossas liberdades mais básicas. A ameaça socialista anti-liberdade se manifestou recentemente nos Estados Unidos, uma ameaça com a qual os brasileiros estão muito familiarizados. É importante compreender que uma forte cooperação entre países amantes da liberdade é a única maneira de deter o avanço da tirania.

Com tudo isso dito, o apoio americano significaria muito para os brasileiros neste momento, e tenho certeza de que muitos brasileiros seriam eternamente gratos por isso.

* Mario Balaban é um conservador brasileiro que atualmente mora nos Estados Unidos. Ele freqüentou a Bryant University em Rhode Island, graduando-se em Negócios Internacionais em 2016. Sua missão contínua é lutar pelos ideais ocidentais e expor as transgressões a cada passo.

 

Para ler mais acesse, www: professortacianomedrado.com

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. Qualquer reclamação ou reparação é de inteira responsabilidade do comentador. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

Compartilhe:

Comentário(s)
1 Comentário(s)

Um comentário:

  1. Esse texto diz tudo. Mas muitos brasileiros não entenderam ainda que o STF é que tá lascando com o brasileiro que"rala" no dia a dia. Vamos compartilhar textos e notícias como essa. "Brasil acima de tudo e Deus acima de todos"!!!!!

    ResponderExcluir

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS