EVENTO: Umbuzada +Q Sonora divulga programação oficial da 1ª MANÉ - 1ª Mostra de Audiovisual Nordestino traz trabalhos da BA, PE, PI, CE e MA


Da Redação
Por: Prof. Taciano Medrado

1ª Mostra de Audiovisual Nordestino traz trabalhos da BA, PE, PI, CE e MA

A produção da 8ª Edição do Festival Umbuzada +Q Sonora divulgou a programação oficial da 1ª MANÉ - Mostra de Audiovisual Nordestino. Esta é a primeira vez que o festival traz uma mostra de trabalhos audiovisuais e reúne obras de cinco estados do Nordeste: Bahia, Pernambuco, Piauí, Ceará e Maranhão. Com uma programação diversificada, que apresenta Clip, longas e curtas, sendo documentários ou ficções, Games, mesa redonda e a Jam Session, toda a grade poderá ser acompanhada pelo YouTube no canal festivalumbuzadasonora.

A abertura da mostra será no dia 10 de março, às 16h, com o videoclipe “Deixa”, da cantora Fabiana Santiago, seguido do curta de ficção, “Além do que se vê”, das autoras Flora Regis e Raissa Otsuka. O filme fala sobre como o medo pode nos paralisar. Medo de não ser aceito, de ser julgado, de sofrer com a imprevisibilidade do mundo e muitos outros. Para a autora Flora Regis é gratificante poder partilhar com o público do festival uma narrativa que levanta uma reflexão sobre um tema muito atual. “Além do que se vê é um convite a autoanálise sobre o que você faria se não tivesse medo”, explica Flora.

Figura 1  - Cena do filme "Além do que se vê"

Em seguida a 1ª MANÉ apresenta os documentários: “Cá Te Espero no Tumbenci”, de Paula Almeida e “Onde Dormem os Sonhos”, de Cecília Amado. Às 19h haverá uma mesa redonda com Dalila Santos, Carol Oliveira e Solange Lima, com o tema: Realização Audiovisual Nordestina Feminina Hoje, e às 21h serão exibidos o vídeo performance de Natielly Santos, “Não Consigo Respirar”; o curta, de autoria de Lis Schwabacher, intitulado “Tateio-me”, o curta de ficção de Viviane Ferreira, “O dia de Jerusa” e, para fechar a noite, o documentário, “Invólucro”, da pernambucana Carol Oliveira.

No dia onze a programação retorna às 14h com a Demonstração dos Games: Divercult (Luiz Adolfo Andrade), Árida (AOCA Game Lab) e Breu (Tarcisio Vaz / Team Zeroth). Às 15h filmes de ficção invadem a programação da MANÉ, com o longa pernambucano “Na Quadrada das Águas Perdidas” de Wagner Miranda e Marcos Carvalho; “As Incríveis Aventuras de um Casal Normal”, do cearense, Daniel Marinho e a obra maranhense, “As Órbitas da Água”, do cineasta Frederico Machado. Às 18h o público poderá assistir ao documentário “Me Pai Cantô”, de Matheus Augusto, seguido do curta de ficção “Fundo do Céu”, de Matheus Vianna e “Trampolim do Forte” um longa de João Rodrigo Mattos.  Às 21h, entram em cena as três últimas produções da noite: “Rasga Mortalha”, um curta de Thiago Martins de Melo; “Soterópolis de Ruy”,  Curta de Ficção de Caó Cruz Alves e “Longe do Paraíso”, um longa de autoria de Orlando Senna.

No último dia, sexta-feira (12), o curta de ficção, “P.S”, de Hícaro Nogueira, abre a mostra, seguido de “Contos da Quarentena”, de Momó de Abreu. Logo após, será exibido um painel de curtas do autor Daniel Lisboa, com seis curtas de ficção: O fim do Homem Cordial, Frequência Hanói, O sarcófago, Cellphone, A anti performance e O sangue de Jesus tem dendê.

Às 16h será exibido o curta “Sobre Nossas Cabeças”, de Susan Kalik, e o longa “Aí que Vida”, do piauiense, Cícero Filho. Às 18h, entra em cartaz o longa, de Camilo Cavalcante, “A História da Eternidade com AD”. Logo após acontece a Jam Session, que este ano será uma live com a banda base da Jam, um show instrumental sem os cantores convidados devido à pandemia.  Para encerrar a MANÉ, uma homenagem ao cineasta baiano Henrique Dantas, com a exibição de dois documentários: “Ser Tão Cinzento” e “Os Filhos de João”. Dantas é roteirista, diretor e produtor audiovisual, além de ser artista visual. Além dos filmes que serão exibidos no festival, ele já dirigiu os documentários Admirável Mundo Novo Baiano e A Noite Escura da Alma e Dorivando Saravá, O Preto que Virou Mar, sobre Dorival Caymmi. Para o curador e produtor do festival, Celso carvalho, a homenagem é mais que merecida. “Escolhemos o cineasta baiano, Henrique Dantas, pelo conjunto da obra e iremos exibir trabalhos do artista, entre eles, o longa “Os Filhos de João”, que tem total identificação com Juazeiro, já que o filme trata da relação entre João Gilberto, Luiz Galvão e os Novos Baianos”, enfatizou.

PROGRAMAÇÃO DA 1ª MANÉ

10/03/21 – QUARTA-FEIRA

16h - Deixa - Videoclipe (Fabiana Santiago -PE)

Além do que se vê - Curta Ficção (Flora Regis e Raissa Otsuka – BA / PE)

Cá Te Espero no Tumbenci – Documentário (Paula Almeida – BA)

Onde Dormem os Sonhos - Documentário Longa (Cecília Amado – BA)

19h - Mesa Redonda com: Dalila Santos, Carol Oliveira e Solange Lima

Tema: Realização Audiovisual Nordestina Feminina Hoje

21h - Não Consigo Respirar - Vídeo performance (Natielly Santos -BA)

Tateio-me - Curta (Lis Schwabacher- BA)

O Dia de Jerusa - Curta Ficção (Viviane Ferreira -BA)

Invólucro 65 - Documentário (Carol Oliveira -PE)

11/03/21 -   QUINTA-FEIRA

14h - Demonstração de Games:

 Divercult (Luiz Adolfo Andrade)

Árida (AOCA Game Lab)

Breu (Tarcísio Vaz / Team Zeroth)

15h - Na Quadrada das Águas Perdidas – Longa Ficção (Wagner Miranda e Marcos Carvalho- PE)

As Incríveis Aventuras de um Casal Normal – Curta Ficção (Daniel Marinho – CE)

As Órbitas da Água – Longa Ficção (Frederico Machado- MA)

18h - Me Pai Cantô – Documentário (Matheus Augusto - BA)

Fundo do Céu - Curta Ficção (Matheus Vianna – BA)

Trampolim do Forte - Longa Ficção (João Rodrigo Mattos-BA)

21h - Rasga Mortalha - Curta (Thiago Martins de Melo -MA

Soterópolis de Ruy - Curta Ficção (Caó Cruz Alves – BA

Longe do Paraíso - Longa Ficção (Orlando Senna -BA)

12/03/21 -   SEXTA-FEIRA

14h - P.S. - Curta Ficção (Hícaro Nogueira – PE)

Contos da Quarentena - Curtas Ficção (Momó de Abreu -BA)

Painel Curtas Daniel Lisboa (BA):

O fim do Homem Cordial (2004)

Frequência Hanói (2006)

O sarcófago (2010)

Cellphone (2011)

A anti performance (2012)

O sangue de Jesus tem Dendê (2013)

16h - Sobre Nossas Cabeças - Curta Ficção (Susan Kalik-BA)

Aí que Vida - Longa Ficção (Cícero Filho – PI)

18h - A História da Eternidade com AD -Longa Ficção (Camilo Cavalcante – PE)

20h - Jam Session21h  - Homenagem a Henrique Dantas (BA):

Ser Tão Cinzento - Documentário

Os Filhos de João - Documentário

Serviço:

Festival Umbuzada +Q Sonora

Data: de 06 a 13 de março de 2021

Apresentação on line

Instagram: @umbuzadasonora

Facebook: facebook.com/festivalumbuzada

Youtube: festivalumbuzadasonora

Website: www.umbuzadasonora.com.br

Contato para entrevistas:

Isabella Ornellas 

Jornalista e assessora de imprensa

(74) 98803-1102 (WhatsApp)

(87)99996-1102

Isabella.ornellas@hotmail.com

 UMBUZADA + SONORA

Para ler outras matérias  acesse, www: professortacianomedrado.com

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Blog do professor Taciano Medrado. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

 

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Marcadores

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS