EDITORIAL: A PREOCUPAÇÃO COM O CORONAVÍRUS E O DESPREZO PELAS OUTRAS DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS. BRASIL REGISTRA MAIS DE 10 MIL CASOS DE SARAMPO ESTE ANO .



Por: Taciano Gustavo Medrado Sobrinho
Professor, Engenheiro, Administrador

Olá caríssimo(a)s leitore(a)s,

Conforme já amplamente comentado por mim aqui no blog, no Brasil depois da pandemia do novo coronavirus parece que ninguém adoece de mais nenhuma patologia. Enquanto isso as outras enfermidades infecto contagiosas começam a entrar em descontrole nas cidades brasileiras a Dengue , a Chinkungunya  e outros tipos de viroses. O sarampo.por exemplo tem se espalhado silenciosamente agora só existe a Covid-19. Não estou querendo afirmar com isso que os gestores públicos devam  desmerecer a atenção especial ao combate e a prevenção ao novo coronavirus, mas que também devam dar  atenção a esses outros tipos de enfermidades citadas anteriormente.

De acordo informações que constam no boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, que incluem dados registrados até junho, o   Brasil registrou neste ano 10.332 notificações de casos considerados suspeitos de sarampo.

O boletim informa ainda  que no total notificado 4.017 (38,9%) casos foram confirmados, sendo 3.029 (75,4%) por critério laboratorial e 988 (24,6%) por critério clínico epidemiológico. Outros 3.812 (36,9%) foram descartados, e permanecem em investigação 2.503 (24,2%).  Até o momento, foram registrados quatro óbitos por sarampo, em São Paulo, Rio de Janeiro, e dois no Pará.

Conforme o Ministério da Saúde, 21 estados estão com circulação ativa do vírus do sarampo. O Pará concentra a maior parcela de casos, 1.918 (47,7%), e maior incidência (39,7 casos por 100.000 habitantes). 

A Bahia, assim como Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Goiás, Alagoas, Ceará, Mato Grosso, Tocantins e Distrito Federal estão com mais de 12 semanas (90 dias) de confirmação do último caso. Mas o Ministério destaca que este cenário está sujeito a alterações, uma vez que ainda existem casos em investigação.

Os dados do boletim indicam que a Bahia confirmou seis casos da doença em quatro municípios. O último caso confirmado no estado foi há sete semanas, de acordo com o boletim.

Na Bahia 33 municípios solicitaram exames laboratoriais para diagnóstico de sarampo.

Ao contrário do novo coronavírus, o sarampo pode ser prevenido com vacina, que é distribuída gratuitamente na rede pública de saúde. No entanto, reportagem do jornal O Globo traz um dado que ajuda a entender os altos números da doença: desde 2016 a meta de vacinação da tríplice viral (para sarampo, caxumba e rubéola) não é atingida no Brasil. 

A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é de imunização de em 95% do público alvo. O índice caiu para 90,52% em 2017, subiu para 92,64% em 2018 e voltou a cair no ano passado, quando fechou em 90,77%.

O sarampo é uma doença infectocontagiosa transmitida por secreções como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. A vacina é a forma mais eficaz de prevenir. O sarampo é uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro. Os sintomas incluem manchas avermelhadas na pele que começam no rosto e progridem em direção aos pés, febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite, manchas brancas na parte interna das bochechas, otite, pneumonia e encefalite.



Para ler outras matérias  acesse, www: professortacianomedrado.com

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ENQUETE

LEITORES ONLINE

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas

Seguidores

Arquivo do blog

TM TV

PARCEIROS